Relato de viagem: o planejamento, o antes, o durante e o depois de sua viagem a Orlando. Por Antônia Carvalho

Olá pessoal! 

Nossa amiga Antônia Carvalho, que sempre traz ótimas notícias pra gente lá em nosso grupo no FB (Tudo sobre Orlando, FL) mandou um relato fantástico pra gente. 

Ela conta: o planejamento, o antes, o durante e o depois de sua viagem a Orlando.

Antônia, a gente agradece mais uma vez por compartilhar conosco suas experiências! 

 Viagem para Orlando Saída 30/04/2014 e chegada em 11/05/2014 – Por Antônia Carvalho

Nossas passagens foram compradas em dez vezes pelo site da TAM e posteriormente os ingressos e o hotel também. O preço do hotel acabou ficando melhor do que o da Decolar, na época. Recebemos da TAM voucher do hotel e dos ingressos. Os da Disney foram trocados no primeiro parque por um daqueles ingressos comuns e para entrar nos parques da Universal, no Sea World e no Busch Gardens, só precisa mesmo do voucher, onde tem um código de barras que te permite a entrada.

30/04 saímos de BH às 07h33min e de Guarulhos à 01h20min do dia 01/05. Voo tranquilo, comida satisfatória. Na imigração eu e minha irmã passamos separadamente. O oficial que me atendeu era meio entediado e me perguntou de onde vinha, quanto tempo ficaria e qual a última vez que tinha estado lá; só!

Alugamos o carro da Alamo, com antecedência, no site da milescarrentalorlando.com; não pagamos antecipadamente. Para pegar o carro nós fomos seguindo as placas de Rental a car e nos dirigimos à Alamo, onde eu tentei usar o totem, mas ele não reconheceu o número da minha reserva (que chato!), fomos então ao guichê e a atendente, é claro, tentou nos empurrar um carro maior , dizendo que as malas não caberiam na volta e quando eu disse que não queria, começou a falar com os outros em alto e bom som de chacota, que eu não tinha dinheiro. Desrespeito total, mas eu nem liguei, vou estragar minhas férias por causa de uma babacona? Eu não! Fomos ao estacionamento para pegar nossa mini van (para duas pessoas, as malas na volta não caberiam?). Me senti num parque de diversões, entrando e saindo naqueles carros lindos, para escolher! Eles estão com o tanque cheio e você, se optar por devolver com o tanque cheio, deve abastecer a caminho do aeroporto. Procure um vídeo sobre como abastecer nos EUA. Pegamos um Tucson, que aqui no Brasil é ix35 (?). Já tinha dirigido carro de câmbio automático por apenas 15 minutos, então estava com medo, mas foi tranquilo. Baixamos o mapa do Mall at Millenia para o Waze no wi-fi do aeroporto e fomos embora! Tranquilo, apesar do nervosismo e do povo de lá que corre como se fosse tirar a mãe da forca! No shopping comprei um telefone da Nokia e um chip da T-Mobile, este a 80$ e que tinha ligações ilimitadas para telefone fixo no Brasil e internet, sei lá quantos gs! Funcionou muito bem!

Ficamos no Hotel Holiday Inn, 5905, South Kirkman Road, muito bem localizado, em frente aos parques da Universal (dez minutos de caminhada agradável) com quartos espaçosos e limpos. Embaixo do hotel tem uma Fridays (achei os preços bons e a comida melhor ainda!). Perto do hotel tinha uma Walgreens e dava para ir a pé. O pessoal do hotel foi simpático e na recepção alguém sempre falava espanhol, o que facilita muito. Na lojinha do hotel trabalhavam duas brasileiras, em turnos diferentes e podem dar algumas dicas, caso precisem. Tem transporte gratuito para os parques da Disney e da Universal também. Me hospedaria lá de novo. Todos os dias cada uma de nós deixava um dólar para a camareira, com um bilhete. O quarto estava sempre impecável! Depois do check in, como estávamos muito cansadas para encarar o Animal Kingdom, mudamos a programação e fomos a um Walmart e um Dollar Tree (tudo por um dólar ou menos!) pertinho do hotel, se for de carro. Compramos um monte de bobagens e as já famosas Michellinas, comida congelada muito gostosa (mesmo!) e que custa um dólar!

No nosso primeiro dia de parques nos pegamos o transporte do hotel para o Magic Kingdom porque estava anunciando tempestade e ficamos receosas de dirigir com tempestade; sabe-se lá se tempestade americana é maior do que a do Brasil, né? ;))) O transporte foi pontual e tranquilo, tanto na ida quanto na volta! Ah, não se esqueçam de deixar 1$ de gorjeta para o motorista do shutle! Importante: geralmente os transportes dos hotéis deixam as pessoas no Epcot, dai você tem que pegar um trem para o Magic Kingdom e lá o barco ou o trem para a entrada do parque, então, calcule bem o tempo na volta, para não ficar para trás! Choveu o dia todo e o parque estava cheio de capas brancas! Do alto parecia um bando de fantasmas andando na chuva! O parque estava bem cheio com excursões… de americanos! Nunca vi isso! Hehehe! Durante todo o tempo que estivemos em Orlando vimos excursões de igrejas e também de estudantes americanos, na faixa de 8 a uns 14 anos! De qualquer forma deu pra fazer todas as atrações planejadas, exceto a Thunder Mountain que fechou. Fizemos a Space Mountain e a Splash Mountain três vezes, uma delícia! A montanha russa dos sete anões ainda estava sendo testada. Uma dica, a Coca Cola é mais barata nas máquinas da ilha do Tom Sawyer, situada em frente àquela barraquinha de tiros. Você faz a travessia de barco rapidinho e é um local muito gostoso pra descansar! Outra comam Funnel Cake no Sleepy Hollow, do lado esquerdo, ao fundo, pra quem está de frente para o castelo. Observação para esse parque: levar chinelos, uma toalha pequena e uma muda de roupas!

Sábado de compras! Fomos ao The Loop, http://www.attheloop.com/kissimmee-orlando/ onde sabíamos ter pouco movimento de turista e boas lojas. Fomos à ROSS e encontramos boas ofertas, mas tomem cuidado, porque como a loja é um pouco desorganizada, passamos umas quatro horas lá, só garimpando! Esse shopping é muito grande e vc quase tem que pegar o carro de uma loja pra outra! Vá com tempo! Comemos lá no The Loop mesmo, num restaurante de comida mexicana chamado Abuelos; excelente! Como tínhamos comprado malas na ROSS (bom preço!) e eu já tinha lido muito sobre arrombamentos de carros em estacionamento, sob protestos da minha irmã, saímos arrastando nossas malinhas pro restaurante, lotado! Imaginem se fomos notadas?

Domingo de Busch Gardens e usamos o transporte oferecido no site deles para quem compra o ingresso antecipadamente, http://pt.seaworldparks.com/busch-gardens-tampa/informacoes/antes-de-chegar.aspx. Você agenda o dia e escolhe um dos locais pré-determinados, no nosso caso, no Universal Studios. O parque estava cheio, acho que porque o Falcon Fury abriu recentemente, mas nesse dia não funcionou. Eles colocaram uns bonecos brancos, para simular pessoas; subia e descia e a gente pensava: agora vão liberar! Doce ilusão! Os bonequinhos pareciam ter uso vitalício dos assentos! Montanhas russas incríveis, principalmente Cheetah e Sheikra! Congo Rivers e Tanganyika Tidal Wave, alegria molhada! Sol escaldante e muita energia boa por todo o Busch Gardens; nota dez! Observação para esse parque: levar chinelos, toalhas e uma muda de roupas!

10346877_10201416547050354_1642054657_n

Falcon´s Fury

Segunda de Epcot Center também com sol e muita gente! Mesmo tendo pegado Fast Pass para a Soarin chegamos direto nela e fomos duas vezes, sem usá-lo, com tempo de espera de dez minutos! Fizemos Test Track duas vezes usando o single rider, que para quem não sabe é uma passagem ao lado da fila normal, para quem não se importa de entrar em uma atração sozinho, sem nenhum amigo; a fila é mais rápida! Fizemos todas as atrações num ritmo bem ligth, curtindo a beleza do parque; foi ótimo! Recomendo o filme 3D que tem no Canadá, o passeio de barco no México (o da Noruega é meio fraco), as lojas de perfumes da França, o Fish and Crisps (peixe com fritas) da Inglaterra e a lojinha da Coca Cola que tem muitos sabores de refri de várias partes do mundo para experimentar de graça! São vários países e vários sabores, por isso, aqui também vale a recomendação: comer um pouquinho de tudo!

10388699_10201416548650394_1813795748_o

Epcot

Terça de Hollywood Studios! Parque maravilhoso! Fizemos as atrações mais concorridas umas três vezes cada! Rock’n Roler Coaster, Twillight Zone (me sinto voando; solto os braços e uouuuuuu!), Star Tours (tem vários filmes diferentes; o que vai para o fundo do mar é ótimo!), Toy Story (tudo tão lindo e viciante!). Não fizemos nenhuma refeição, só comemos lanches e uma boa dica é pedir o Kids Meal; todos vem com água e alguma fruta; você não fica com fome, nem cheio a ponto de não poder virar de ponta cabeça nas montanhas russas.

Quarta feira na Universal Studios! Fomos a pé e chegamos antes da abertura do parque. De manhã estava bem vazio, mas na hora do almoço encheu muito e pegamos 45′ de fila para ver os lindos Minions! Em compensação, já tínhamos ido pelo menos duas vezes nos outros brinquedos Hollywood Rip Hide, Mummy, Transformes (não achei muita graça), ET (um clássico), Simpsons (amo de paixão!), Men in Black e ainda no Twister e Disaster! Almoçamos num restaurante Irlandês, Finnengans e aprovamos a comida, o atendimento e o preço!

Quinta feira no Island of Adventure! Pelo nome já viram, né: levar chinelos, toalhas e uma muda de roupas! Fomos primeiro pelo lado direito do parque, nas atrações secas Dragon Challenge, HP and the Forbidden Journey, dai, com o calor ajudando, nos encharcamos no Jurassic Park River, Popeye and Blutos, Dudley Do Right. Aqui fica um alerta! Colocamos as mochilas e pagamos 90 minutos de locker, com cartão, antecipadamente. Quando voltamos já tinha terminado esse tempo e teríamos que pagar mais 3 dólares, mas como? Estava tudo lá dentro! Dãaaaa! A sorte é que as pessoas foram muito solidárias e uma brasileira nos deu os 3 $ (se você estiver lendo isso, saiba que somos eternamente gratas! Que Deus te abençoe!); ocorre que a máquina devolvia o dinheiro e precisávamos um cartão! Mais uma vez encontramos um anjo (americano, japonês?) que se dispôs a receber os dólares e pagar com seu cartão. Ufa, que sufoco! Voltamos à área do Harry Potter lá pelas 17 h e fui de single rider três vezes na HP and the Forbidden Journey!

10374208_10201416560010678_1834177037_n

Bubba Gump

Na sexta fomos ao Sea World, parque que deveria mesmo fechar essa jornada, pois estávamos muito cansadas e o fluxo lá é muito tranquilo, com muitos shows pra você ver sentado! O parque bem vazio! Fui na Kraken três vezes e na primeira fila! Um verdadeiro voo! Manta, Kraken, Shark encounter, Journey to Atlantis (molha um pouco), Turtle Trek (emocionante!), Penguim Encounter, Sky Tower, golfinhos e pinguins fofos, baleias impressionantes, pássaros lindos, tartarugas intrigantes… e o parque ainda tem uma área ótima para crianças, lá perto do teatro da Shamu! Vale passar o dia inteiro, ficar até seu fechamento! Na volta do Sea World o nosso telefone/GPS estava sem bateria e fomos nos aventurando até a Disney. De lá nós pensamos em entrar no Wi-fi de algum hotel, mas você não passa das cancelas! Um segurança fez um mapa pra nos ajudar, mas eu e minha co pilota nos perdemos uns dois sinais à frente! Já desesperadas entramos num estacionamento de funcionários e acabou aparecendo uma cast member, Rhonda, que tentou nos fazer outro mapa por uns quinze minutos e depois, ao ver no mapa do segurança que íamos para a Kirkman Road, no melhor estilo americano, nossa heroína soltou um: “Kirkmann? Oh, follow me!” E nós duas fomos felizes da vida, seguindo o nosso anjo, até bem pertinho do nosso hotel!

Sábado! Check out rápido, sem cobranças! Pegamos o carro e fomos para o aeroporto, mas… em um dos pedágios o GPS mandava seguir reto e tinha duas placas uma para Miami e outra para Ocala (acho)! Na dúvida, na pressa, sem pensar, pegamos a direção Miami e, é claro, erramos! Comecei a perceber que não apareciam placas indicando o aeroporto e que estava demorando mais do que os vinte e poucos minutos previstos; por sorte, nos próximos pedágios os atendentes nos orientaram e voltamos ao caminho certo. Que ninguém venha mais me falar que os americanos são grossos ou insensíveis! Tivemos algumas ocasiões em que precisamos deles e encontramos paciência, solidariedade e alguns anjos pelo caminho. God bless you!!!

Chegamos ao aeroporto, devolvemos o carro em dois minutos; entramos na fila, tiramos as malas, a funcionária entrou no carro, ligou e emitiu um recibo com o valor (ficou mais barato do que estava no contrato); fizemos o check inn e depois dos trâmites necessários finalmente nos sentamos em nossas cadeiras com um atraso de meia hora. Em Guarulhos o caos era total! Não temos a menor estrutura para essa Copa! Perdemos nossa conexão porque depois de uma fila quilométrica na imigração, as malas não chegavam nunca e por fim, o guichê da TAM não conseguia atender à demanda!

Estou com pena dos funcionários que trabalharão nos aeroportos durante a Copa, estou com dó dos turistas, que nem imaginam a desorganização que vão enfrentar e estou com dó de todos nós, brasileiros, que passaremos um vexame e seremos definitivamente taxados como indolentes, no cenário mundial!

Espero ter ajudado a vcs com meu relato!

Antônia Carvalho

Quer ver o relato da sua viagem aqui? Quer compartilhar suas experiências conosco? Mande um e-mail para: euemorlando@gmail.com ou acesse o nosso grupo no facebook:  https://www.facebook.com/groups/175385522644267/

Deixe uma mensagem

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

apartamento professor pedreira de freitas letras